Gustavo Castellani Ribeiro recebeu doação de medula do seu herói.

Sim, Gustavo Castellani Ribeiro, 10 anos, filho de Elaine  e Geraldo, de Santa Rosa de Viterbo/SP fez hoje (21/02), no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, um transplante de medula, dando sequência ao tratamento que faz desde que foi diagnosticado com um raro tipo de tumor, que, antes dele, só foi diagnosticado em 12 pessoas em todo o planeta.

Geraldo Ribeiro, o pai,  foi o doador, 50% compatível com o filho. A mãe, Elaine, diz que Deus não poderia ter escolhido um pai mais maravilhoso para seu filho Gustavo do que Geraldo.

Geraldo e o filho Gustavo após o transplante – Deus é perfeito e escolheu o melhor pai do mundo para o Gu, verdadeiro herói para doar a medula para o nosso guerreiro. Geraldo tem toda minha gratidão, eternamente, diz a mãe Elaine,
“Esse pai maravilhoso que meu filho tem, é presente de Deus. Ele esteve e está presente em todos os momentos, e mais ainda nesse momento tão delicado doando a medula para o transplante do nosso filho. Deus é maravilhoso, minha gratidão é imensa a cada vitória”, disse Elaine.

Gustavo foi diagnosticado aos 5 anos com leucemia e conseguiu a remissão, porém, há algum tempo esse raro tumor foi diagnosticado. Como é um caso raro, muito médicos estão envolvidos, até no exterior. Novos protocolos, que nunca foram usados estão sendo usados com Gustavo, que tem reagido como um verdadeiro guerreiro.

Gu e a mãe Elaine antes do transplante.

Devido ao avanço da medicina, Gustavo pode receber a medula do seu pai herói, que é 50% compatível, pelo método de aférese. Geraldo ficou 5 horas ligado a uma máquina retirando as células tronco da sua própria medula para doar ao filho.

“Eu acredito que nada é em vão, nada é por acaso, nossa luta é grande e continua. Acabamos de fazer o transplante, já passamos muitos momentos complexos. Agradeço aos médicos, aos enfermeiros, a família e aos amigos, a todas as pessoas que oram e continuam orando pela saúde de nosso filho, mas hoje, em especial, quero agradecer a Deus por ter abençoado o Gustavo com esse pai maravilhoso. Gratidão eterna ao pai herói, Geraldo Ribeiro, desse guerreiro que me chama de mãe, destaca com muita emoção, Elaine.

Elaine diz ainda que, nesse tempo, desde o início do tratamento do filho Gu, percebeu a importância da doação de sangue, de plaquetas, do cadastro no banco de medula e o quanto isso precisa ser divulgado. O Hemocentro precisa de sangue, precisa abastecer as bolsas que salvam vidas.

“Precisamos nos conscientizar, precisamos ajudar uns aos outros, precisamos ser solidários. Doar sangue, tempo, vida e amor faz do mundo um lugar mais leve de viver. E pra finalizar, gostaria de dizer que tenho certeza que toda oração tem chegado aos céus e a força dessa energia chega até nós. Gratidão a cada pensamento em favor da saúde do Gu é a palavra que define”, conclui. 

Gustavo ainda requer muitos cuidados, mas o transplante, fundamental no caso dele, foi feito e, com o avanço da medicina e a fé em Deus, em breve teremos mais e mais notícias boas.

 

Deixe seu comentário

Jaque de Bem Autor

Jaqueline de Bem é jornalista por paixão, idealista de coração e amante da verdade. Ajudar o mundo a se comunicar de forma positiva e verdadeira é a sua missão nessa terra.