Histórias de Vida – Lançado aplicativo de combate ao suicídio

Na coluna de hoje trago informações e reflexões acerca do encerramento da campanha brasileira Setembro Amarelo de prevenção ao suicídio. Iniciada no ano de 2015 pelo Centro de Valorização a Vida CVV em conjunto com o Conselho Federal de Medicina e da Associação Brasileira de Psiquiatria, cujo símbolo do movimento é o laço amarelo, esta campanha é realizada no mês de setembro devido ao dia 10 deste mesmo mês ser o Dia mundial de prevenção ao suicídio.


A iniciativa propõe a abertura de espaços para debates sobre o suicídio, divulgação de informações sobre o tema a população esclarecendo-se sua importância. Conforme os dados referentes às taxas de suicídio, no Brasil é considerado um problema de saúde pública e sua ocorrência têm aumentado entre a população jovem é do sexo masculino, sendo a taxa maior do que as vítimas de AIDS e da maioria dos tipos de câncer.

No mundo, o suicídio é a terceira causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos e a sétima causa de morte de crianças de 10 a 14 anos de idade e segundo a Organização Mundial da Saúde – OMS o suicídio têm prevenção em 90 por cento dos casos.

A origem da cor amarela se deve a história de um jovem americanos chamado Mike Emme, de 17 anos que cometeu suicídio com o seu carro amarelo, tendo em seu funeral amigos e familiares distribuído cartões com fitas amarelas, cuja mensagem foi espalhada ao mundo inteiro.


Toda e qualquer ameaça de suicídio deve ser levada a sério e as pessoas com risco de cometer suicídio comunicam seu sofrimento constantemente e devemos estar em alerta aos sinais, sendo que as tentativas também são consideradas indicadores de que o suicídio pode ocorrer.
Para evitar os estigmas e preconceitos relacionados aos transtornos mentais, os articuladores da campanha lançaram uma cartilha sobre o comportamento suicídio destinado aos profissionais e a imprensa, que trazem esclarecimentos sobre como abordar esse complexo tema sem desrespeitar as orientações da Organização Mundial da Saúde. A campanha termina, mas as ações de prevenção ao suicídio continuam sendo realizadas pelos principais serviços de saúde e pela central do Centro de Valorização a Vida através do número 188 gratuitamente e também através do aplicativo Tá tudo bem? criado pela jovem Aline Bezzoco, de 29 anos, disponível gratuitamente para os dispositivos Android.

Referências:
Wikipedia
Observatório terceiro setor

Joice Virgínio – Assistente Social
Deixe seu comentário

Jaque de Bem Autor

Jaqueline de Bem é jornalista por paixão, idealista de coração e amante da verdade. Ajudar o mundo a se comunicar de forma positiva e verdadeira é a sua missão nessa terra.